• RSS
  • Orkut
  • Flickr
  • Facebook
  • Twitter
  • Tumblr
  • Youtube

A Última Crônica

Posted by Equipe do Blog on 11:07 1 comment



E o fim do dia havia chegado. Foi um longo dia, mas ele o tinha aproveitado bastante!
Acordou cedo, foi correr na beira da praia, voltou para casa e tomou um banho, engoliu um café e foi para seu último dia de aula! Ah, como era boa a sensação de “chegada de férias”, aquilo deixava Vini muito feliz!

Na escola, ele conversou muito, brincou, relembrou momentos e deu muitas gargalhadas. Até que chegou a hora de ir embora, e ele teve que se despedir dos seus amigos. Ele estudava o terceiro ano, estava terminando, e era, literalmente, seu último dia de aula na escola.

Ele começou a olhar seus amigos, aqueles que passaram o tempo todo com ele, durante o ano, e um fleche de memórias boas foi criando uma apresentação de slides magnífica em seu cérebro. Ele viu Eduardo, viu Marina, lembrou-se do dia em que Leonardo machucou a perna na academia, e quando todos se juntaram para carregá-lo de um lado para outro na escola. Ele viu os momentos em que eles se juntavam para estudar desesperadamente, para tirar boas notas. Aquele era o último momento dele com aqueles colegas, e o próximo contato com eles, agora, seria a distância, ou em encontros rápidos, em alguns finais de semana, quem sabe... Ele sentiria saudade.

Despedidas nunca são legais, e normalmente nos trazem boas lembranças, lágrimas e muita saudade. E não é porque sentiremos falta apenas das pessoas; sentiremos falta da fase que passou, dos momentos bons e do tempo livre que tínhamos; sentiremos falta das horas de conversas e de brincadeiras, dos momentos de cultos abençoados que presenciamos nesse grupo.

Assim, como numa despedida de terceiro ano, ao sairmos da União, sentimos um alívio, pois sabemos que estamos crescendo e amadurecendo, sabemos que estamos progredindo, avançando. Sabemos que Deus irá conosco para nos ajudar, sabemos que Ele não nos abandonará! Mas, fora isso, sentiremos muita falta das pessoas, dos nossos amigos mais jovens, que nos tomam como modelo em alguns aspectos, mas que têm muito para nos ensinar, em todo o momento. Sentiremos falta simplesmente da harmonia que há nesse grupo. Sentiremos falta do afago de nossa mãe Silvanete e dos ensinamentos de nosso pai Josiel. Sentiremos falta do carinho e apoio das tias Asenate, Ísis e Ester. Sentiremos falta da orientação do nosso querido ir. Douglas e do nosso amado Pb. Sameque. Dos ensaios repletos de bênçãos e carões por Tiago e Vasti e do apoio indispensável de Gabriela e Josué. Sentiremos falta de tudo. Mas, aonde quer que nós formos, sempre arderá a chama de amor à UNIÃO. Afinal, foi lá que aprendemos mais de Deus, foi lá que aprendemos como construir a base para nossa vida, desde a época de nossos inesquecíveis e amados Pb. Helmiton e Ir. Norma. Enfim, essa é a última vez que escrevo para o CRÔNICARTE. Não serei mais a cronista, mas sei que sempre haverá postagens maravilhosas aqui, para nos edificar.

Agradeço a Deus pela honra que Ele me deu de escrever aqui, e amo a vocês, todos. Deus abençoe, Paz!

1 comentários:

Saudades.
Pena que o trabalho não continuou.
Pena.

Postar um comentário